Allianza Brasil apresenta embalagem à base de milho

A Allianza BR, possui uma história curiosa ligada ao Open House. Foi durante as primeiras edições do evento, que o presidente do Grupo Masipack, convidou um de seus amigos para conhecer uma tecnologia que estava sendo desenvolvida e que poderia ser dentro de pouco tempo uma grande demanda de mercado.

Tratava-se do uso de papel com barreira funcional, para o uso em embalagem primária, porém formada em equipamentos automáticos de alta velocidade, dessa forma, iniciava-se ali a trajetória da Allianza BR, que pouco tempo depois tornou-se uma empresa fornecedora de vernizes e aditivos para o mercado de embalagem, com patentes em diversos países e que conta com Miguel Ascoli (o amigo convidado) como sócio-fundador.

Há cada ano a partir daquele momento, a Allianza BR trouxe ao evento, uma novidade relacionada ao tema: sustentabilidade, primeiro foram as embalagens monomateriais de filmes plásticos, que utilizam estruturas à base de PE ou PP para entregar alta barreira à segmentos, antes reféns de estruturas multimateriais e que por este motivo são as vilãs das estações recicladoras em todo o mundo.

Posteriormente, veio o uso do papel, agora com uma barreira aprimorada pelo time técnico da Allianza BR e que alcançou ótimo índices em testes realizado pelo CETEA-BR, sendo também certificado internacionalmente para uso em alimentos e que permite, a um equipamento com poucas modificações, operações em alta velocidade de envase, além de aprimorar em alguns casos o tempo de validade dos produtos.

Este ano, novamente a Allianza BR trouxe uma novidade ao mercado mundial, com o uso do papel com uma película PLA (biopolímero à base de milho) e que permite além de uma maior barreira, uma melhor maquinabilidade ao insumo, otimizando sua resistência mecânica às altas velocidades utilizadas pelos equipamentos de envase, tanto verticais, como horizontais.

Compartilhe: